X

0 Comentários

Festivais

21º Cine-PE (2017) – premiação

Ideia de resistência pontua discursos no encerramento. “Jardim das Aflições” é eleito melhor filme.

Por Renata Malta | 04.07.2017 (terça-feira)

Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someonePrint this page

O principal vencedor, na noite de encerramento (ontem, 3/7), da 21º edição do Cine-PE: Festival do Audiovisual foi O Jardim das aflições, de Josias Teófilo.  Foi eleito o melhor longa-metragem e foi também ganhador dos troféus Calunga pela Montagem e pelo Júri Popular. O diretor, que estava ausente da premiação (está na Itália), pediu que todos os prêmios atribuídos ao filme fossem dedicas ao seu avô, o cineasta Pedro Teófilo Batista.

O crime da Gávea levou os troféus de Melhor fotografia, Melhor Atriz, Melhor Atriz Coadjuvante e Direção de Arte. Toro, de Edu Felistoque, também levou quatro prêmios: Direção, Melhor Roteiro, Edição de Som e Melhor Ator Coadjuvante.

Durante as premiações dos curtas-metragens, os discursos dos vencedores foram marcados pelo tema da resistência. O primeiro da noite, o Prêmio Canal Brasil de Curtas, foi para o filme paulista Diamante, o bailarina, que também levou os troféus de Melhor Filme e Melhor Direção de Arte na competitiva de curtas Nacionais. O ator Sidney Santiago falou sobre homofobia e o preconceito racial no país ao receber os prêmios.

Day Rodrigues, do filme Mulheres negras: Projetos de mundo, recebeu os prêmios de Melhor Direção que compartilha com Lucas Ogasawara, e o prêmio do júri popular.  A diretora agradeceu as entrevistadas e voltou a falar sobre o espaço da mulher negra e sobre a sua própria conquista na noite de ontem.

Ainda na categoria nacional, a animação pernambucana O ex-mágico, de Olimpio Costa e Mauricio Nunes, garantiu as honras de Melhor roteiro, Edição de som, Trilha sonora e o Premio da crítica.

Na competitiva pernambucana, o filme da noite foi Los Tomates de Carmelo, de Danilo Baracho que ganhou, também, os troféus de Melhor Fotografia e Melhor Direção.

Autofagia, vencedor pelo júri popular levou os prêmios de Melhor Ator e Melhor Direção de Arte. O ator Emanuel David D’Lúcard, muito empolgado, agradeceu o prêmio e falou sobre gênero, respeito e humanidade.

O júri oficial do 21º Cine-PE foi composto por Emanoel Freitas (ator, diretor artístico, gestor e produtor de eventos), Indaiá Freire (jornalista, produtora cultural, mestra em literatura e cinema), Tony Tramell (jornalista, ativista cultural e assistente de direção), Caio Julio Cesano (Secretário Municipal de Cultura de Londrina, doutor em multimeios, mestre em Comunicação e Mercado), Naura Schneider (atriz, produtora e jornalista) e Vladimir Carvalho (documentarista, cineasta e escritor).

PROJEÇÕES – A última do 21º Cine-PE encontrou o cinema São Luiz cheio. A programação do festival encerrou com a exibição de dois filmes hor-concours. O curta-metragem pernambucano Duas Mulheres, de Marcello Brennand, e o longa-metragem Atum, Farofa & Spaghetti, de Riccardo P. Rossi. Documentário paulista sobre a gastronomia de Pernambuco.

Duas Mulheres, cujo enredo é inspirado num conto do escritor Ronaldo Correia de Brito,  acontece em um apartamento com personagens brigando e relembrando a juventude. Na apresentação do curta ao público, seu diretor comentou sobre a satisfação de exibi-lo no Cine São Luiz, na qual alguns trechos de seu filme foram gravados. Falou ainda sobre a influência do festival em sua formação.

Já Riccardo P. Rossi, em sua apresentação, lembrou da mescla de sabores regionais com a de diferentes partes do mundo como um trunfo: “A gente come cultura. Ponto!”.  A obra, que acompanha a viagem feita pelos chefs de cozinha Joca Pontes, Saburó Matsumoto e Duca Lapenda, abriu o apetite da sala lotada que suspirava em conjunto sempre que algo delicioso surgia na tela.

Pelo filme, sabemos que após receber um convite para cozinhar no restaurante Ze Kitchen Galerie na França, o chefe do restaurante Ponte Nova convida os colegas Matsumoto e Lapenda a uma viagem que se iniciou na Itália experimentando e conhecendo a tradição do país, seguido pela execução do jantar no restaurante francês e terminando na visita da equipe ao Japão. O filme investiga as influências dos chefs e convida o público a conhecer novas experiências junto com eles.

 

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS-METRAGENS PERNAMBUCANOS

Melhor Filme – “Los Tomates de Carmelo” (PE), Danilo Baracho

Melhor Direção – Danilo Baracho, “Los Tomates de Carmelo” (PE)

Melhor Roteiro – Marcelo Cavalcante, “Marina e o pássaro perdido” (PE)

Melhor Fotografia – Danilo Baracho, “Los Tomates de Carmelo” (PE)

Melhor Montagem – Marcus Paiva, “Soberanos da Resistência” (PE)

Melhor Edição de Som – Sérgio Kyrilos, “Marina e o pássaro perdido” (PE)

Melhor Trilha Sonora – Carlos Ferrera, “Soberanos da Resistência” (PE)

Melhor Direção de Arte – Felipe Soares, “Autofagia” (PE)

Melhor Ator – Emanuel David D`Lúcard, “Autofagia” (PE)

Melhor Atriz – Brenda Lígia, “Aqui Jaz” (PE)

JURI POPULAR – “Autofagia” (PE), Felipe Soares

PREMIO DA CRÍTICA – “Entre andares” (PE), Aline van der Linden e Marina Moura Maciel

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS-METRAGENS NACIONAIS

Melhor Filme – “Diamante, o Bailarina” (SP), Pedro Jorge

Melhor Direção – Day Rodrigues e Lucas Ogasawara, “Mulheres Negras: projetos de mundo” (SP)

Melhor Roteiro – Olimpio Costa e Mauricio Nunes, “O Ex-Mágico” (PE)

Melhor Fotografia – Pedro Maffei, “Retratos da Alma” (DF)

Melhor Montagem – Márcio Miranda Perez, “Quando os dias eram eternos” (SP)

Melhor Edição de Som – Jefferson Mandú, “O Ex-Mágico” (PE)

Melhor Trilha Sonora – Claudio Nascimento, “O Ex-Mágico” (PE)

Melhor Direção de Arte – Daniela Aldrovandi, “Diamante, o Bailarina” (SP)

Melhor Ator – Eucir de Souza, “Sal” (SP)

Melhor Atriz – Helena Albergaria, “O Tronco” (SP)

MENÇÃO HONROSA DO JÚRI – “Luiza” (PR), Caio Baú

JURI POPULAR – “Mulheres Negras: projetos de mundo” (SP), Day Rodrigues e Lucas Ogasawara

PREMIO DA CRÍTICA – “O Ex-Mágico” (PE), Olimpio Costa e Mauricio Nunes

PRÊMIO CANAL BRASIL DE CURTAS

“Diamante, o Bailarina” (SP), Pedro Jorge

MOSTRA COMPETITIVA DE LONGAS-METRAGENS:

Melhor Filme – “O Jardim das Aflições” (PE), Josias Teófilo

Melhor Direção – Edu Felistoque, “Toro” (SP)

Melhor Roteiro – Edu Felistoque, Julio Meloni, “Toro” (SP)

Melhor Fotografia – Alex Lopes, João Atala, Raul Salas, Natalia Sahlit, Inti Briones, “O Crime da Gávea” (RJ)

Melhor Montagem – Matheus Bazzo e Daniel Aragão, “O Jardim das Aflições” (PE)

Melhor edição de som – Guilherme Picolo, Lucas Costabile, “Toro” (SP)

Melhor Trilha Sonora – Nancys Rubias , She Devils , Kumbia Queers, “Los Leones” (MG)

Melhor Direção de Arte – Lúcia Quental, “O Crime da Gávea” (RJ)

Melhor Ator Coadjuvante – Rodrigo Lampi, “Toro” (SP)

Melhor Atriz Coadjuvante – Aline Fanju, “O Crime da Gávea” (RJ)

Melhor Ator – Mário Bortolotto, “Borrasca” (SP)

Melhor Atriz – Simone Spoladore, “O Crime da Gávea” (RJ)

JURI POPULAR – “O Jardim das Aflições” (PE), Josias Teófilo

PREMIO DA CRÍTICA – “Los Leones” (MG), André Lage

Share on FacebookTweet about this on TwitterEmail this to someonePrint this page
Fields marked with an * are required

assine e receba
novidades por email

Mais Recentes

Publicidade